RÁDIO TREM WEB - radiotrem.com

* RÁDIO TREM (www.radiotrem.com)

PREVISÃO DO TEMPO - SÃO PAULO

segunda-feira, 17 de junho de 2019

A ESTAÇÃO CIDADE DUTRA!...




Rara imagem da antiga Estação Cidade Dutra,  em Interlagos, no Ramal de Jurubatuba da Estrada de Ferro Sorocabana - EFS, nos idos da década de 1960.

A Estação Cidade Dutra, atendia aos Trens de Passageiros de Longo Percurso que operavam entre a Estação Júlio Prestes, no centro da cidade de São Paulo e o Litoral Sul Paulista (Santos, São Vicente, Mongaguá, Itanhaém, Peruíbe). Alem dos Trens Urbanos, que operavam entre esta estação e a Júlio Prestes, com alguns horários indo até a estação de Colônia Paulista, na região de Parelheiros.
























A mesma esteve operacional até o final da década de 1970 (77 / 79 ?!?...), quando a remodelação do Ramal de Jurubatuba pela então Fepasa (Ferrovia Paulista S/A), desativou o serviço de passageiros nessa linha, ficando a mesma operacional na época, apenas para Trens Cargueiros com origem / destino ao Porto Santista.

Desde a sua desativação, até o início dos anos 2000, nessa estação morou um senhor, que foi funcionário da E. F. Sorocabana / Fepasa e, mesmo aposentado de seus ofícios, permaneceu morando e guardando a mesma, até praticamente os seus últimos dias de vida. Sendo muito por esse motivo, que a mesma "resistiu" ao tempo.

Entre os anos de 2003 / 2004 e 2008, a antiga estação Cidade Dutra e seu pátio, foram usados como apoio / alojamento para operários, materiais e maquinários, das obras de construção da nova estação Autódromo e modernização do trecho entre as Estações Jurubatuba e Grajaú, da atual Linha 9 Esmeralda da CPTM. Mas infelizmente após a conclusão das obras, a antiga estação Cidade Dutra "caiu no esquecimento". Não sendo recuperada, com vistas a sua preservação, por ser a única das primitivas estações dessa linha, ainda em existência.























A mesma está (2018) dentro de área patrimonial da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, ao lado da nova Estação Autódromo, inaugurada em 2007, principalmente para facilitar o acesso do público que se desloca de outras regiões, aos eventos do Autódromo de Interlagos, a exemplo do GP Brasil de Fórmula - 1. Podendo ser vista a partir da nova estação, bem como de dentro dos Trens que passam a sua frente. Mas erroneamente, sem os devidos cuidados de manutenção, a mesma vai se degradando a cada dia...






















Esta página tem o intuito de preservar parcelas da história dessa antiga estação e seu ramal ferroviário, alem de dar destaque aos marcos históricos de Interlagos e região.
E quem sabe "despertar as autoridades políticas e órgãos competentes", sobre a necessidade de sua recuperação e preservação...

Anderson A. C. (Idealizador)

Fotos do acervo do site Estações Ferroviárias do Brasil;
http://www.estacoesferroviarias.com.br/c/cidadedutra.html



O TREM TURÍSTICO FEPASA (BARRA FUNDA - SANTOS)!...

Trem Turístico Barra Funda - Santos, saindo do Ramal de Jurubatuba, dando entrada na Linha Mairinque - Santos, no Alto da Serra, em Evangelista de Souza. 
(Imagem de época da extinta FEPASA - Ferrovia Paulista S/A)

O TURÍSTICO DA FEPASA, BARRA FUNDA - SANTOS, NOS ANOS NOVENTA!

Nos anos noventa, os Trens de Passageiros de Longo Percurso que anos antes, operavam regularmente entre a Estação Júlio Prestes na capital e o Litoral Sul Paulista, via Ramal de Jurubatuba, da antiga Estrada de Ferro Sorocabana, já haviam sido desativados, desde meados da década de setenta.

"Entre o final dos anos setenta e a década de oitenta, os únicos Trens de passagem pelo Ramal de Jurubatuba, com destino a Santos, eram os Cargueiros, que iam e voltavam do Porto."

No início dos anos oitenta, a Fepasa iniciou a implantação da Linha Sul do Trem Metropolitano, conhecida hoje como Linha 9 Esmeralda, da CPTM. E os Metropolitanos desse ramal, que passaram a partir da Estação de Osasco e não mais da Júlio Prestes, inicialmente percorriam a linha, somente até a Estação Pinheiros. Sendo o ramal modernizado e prolongado esse serviço, entre 1985 e 87 até a Estação Largo 13 (Atual Estação Santo Amaro) e Estação Jurubatuba, respectivamente, sem a construção ainda das atuais estações intermediárias, existentes entre Pinheiros e Santo Amaro, que só foram construídas pela CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), a partir de meados da década de noventa.

Publicidade de época da então Linha Sul do Trem Metropolitano, da FEPASA - Ferrovia Paulista S/A.
"Composição prestes a passar abaixo da Ponte Cidade Jardim. Notar que ainda NÃO havia a Estação Cidade Jardim." 

Mas para alem de Jurubatuba, até Evangelista de Souza, só os Trens Cargueiros percorriam o ramal.

Então no início dos anos noventa, o GESP, através da Ferrovia Paulista S/A (FEPASA), implantou o Trem Turístico Barra Funda - Santos. Que operava somente aos Sábados e Domingos, utilizando alguns dos carros dos Trens de Longo Percurso, da antiga Sorocabana, que ainda estavam operacionais nos Trens de Longa Distância da Fepasa, que nesta época, ainda operavam diariamente entre a capital e as cidades da Alta Sorocabana, no Oeste Paulista, até Presidente Epitácio.

"Os carros utilizados no serviço Turístico, foram reformados nas próprias oficinas da Fepasa. Sendo esse serviço operado em parceria com uma agência de viagens/turismo, nos mesmos moldes que era operado também o Turístico entre as cidades de Poços de Calças e Águas da Prata."

O Turístico para Santos, partia da Plataforma 04 da Estação Intermodal Barra Funda, por volta das 08h, "retornando para São Paulo, no final da tarde"...

Estação Terminal Intermodal Barra Funda, no final dos Anos 80/início dos 90.

Na Estação, o Trem Metropolitano da Linha Oeste da Fepasa (atual Linha 8 - CPTM) nas Plataformas 2 e 3 com destino a Itapevi. E na Plataforma 4 (mesma Plataforma de onde partia o Turístico para Santos), um Longo Percurso com destino a Alta Sorocabana (Mairinque, Sorocaba, Botucatu, Assis, Presidente Prudente, Presidente Epitácio).

(Imagem de Publicidade da extinta Fepasa.  Acervo; Máfia do CTC)

... e seguia de passagem pela Linha Tronco (em trecho a atual Linha 8 da CPTM) pelo Bairro da Lapa, até a Estação Imperatriz Leopoldina, onde logo após essa estação, entrava na via de acesso ao Ramal de Jurubatuba, percorrendo o mesmo até a Estação de Jurubatuba, onde a composição fazia uma breve parada, para aguardar autorização, para seguir até Evangelista de Souza, no Alto da Serra.

"Na Estação Jurubatuba, havia eventualmente o embarque de alguns Passageiros..."

Após partir da Estação Jurubatuba, a composição seguia de passagem (sem paradas) pela antiga Estação Cidade Dutra (onde ao seu lado hoje, está a Estação Autódromo da Linha 9 da CPTM)...

Trem Turístico de Passagem pelo Pátio e Cruzamento com Via Local, da Antiga Estação Cidade Dutra, em Janeiro de 1991,  com pessoas admirando o Trem de Passageiros, cena rara neste trecho do Ramal de Jurubatuba, nesta época.

Atualmente nesse trecho, correm os Trens da Linha 9 Esmeralda da CPTM.

"Ao fundos, a Avenida Feliciano Correia, que é a via de acesso, entre a Estação Autódromo da CPTM e o Setor G do Autódromo de Interlagos, que aparece no morro mais aos fundos."

(Foto de Filme Kodacolor - 100, registrada por Anderson Alves Conte)

... Estação/Pátio de Interlagos (onde hoje é a Estação Grajaú, da Linha 9), de passagem pela região de Parelheiros, Colônia Paulista, até a Estação de Evangelista de Souza, onde a composição fazia outra parada, para a troca de Locomotivas; Sendo desengatada a Locomotiva do trecho de São Paulo e engatada outra, do trecho da Baixada Santista.

Composição parada na Estação de Evangelista de Souza, para troca de Locomotivas, em Janeiro de 1991.
Na imagem, Anderson Alves Conte e Sr. Natalino Conte (em memória).
(Foto de Filme Kodacolor - 100, de Anderson Alves Conte)

A partir da Estação de Evangelista de Souza (Entroncamento do Ramal de Jurubatuba, com a Linha Mairinque - Santos), o Trecho da Serra do Mar, da Mairinque - Santos, construída pela Estrada de Ferro Sorocabana, na década de 1930, com seus Tuneis e suas BELÍSSIMAS cachoeiras.... uma paisagem possível de ser contemplada, apenas das janelas do Trem, conforme imagens abaixo;

Composição no Trecho de Serra da Linha Mairinque - Santos, que nessa época, estava sendo duplicada pela FEPASA.
(Foto de Filme Kodacolor - 100, registrada por Anderson Alves Conte)

Estação Pai Matias, na Serra da Mairinque - Santos, em Janeiro de 1991.
(Foto de Filme Kodacolor - 100, registrada por Anderson Alves Conte)

Uma das Cachoeiras do trecho da Serra, sendo fotografada "em duas partes" em 1991, porque não coube no foco da lente.
(Foto de Filme Kodacolor - 100, registrada por Anderson Alves Conte)

Paisagem da Serra, já próximo Baixada Santista, em Janeiro de 1991.
(Foto de Filme Kodacolor - 100, registrada por Anderson Alves Conte)
Rio da Baixada Santista, na região de São Vicente, visto da Janela do Trem, em Janeiro de 1991.
(Foto de Filme Kodacolor - 100, registrada por Anderson Alves Conte)

Ao termino da descida da Serra, o Trem passava por Paratinga e entrava na Linha Juquiá - Santos, a partir da Estação Samarita, bairro da cidade de São Vicente. E seguia de passagem pela histórica cidade, em trechos paralelos a "avenida beira mar", indo até a Estação de Santos da antiga Sorocabana, na Avenida Ana Costa, no bairro Gonzaga.


Mapa Parcial da Antiga E. F. Sorocabana, capturado da internet.

"O risco em vermelho agregado ao mapa, mostra a rota percorrida por esse Trem, nos anos noventa."


Estação Samarita, em São Vicente, em Janeiro de 1991.
(Foto de Filme Kodacolor - 100, registrada por Anderson Alves Conte)
                               
O Rio Branco "o grande rio de São Vicente" visto da Janela do Trem, em Janeiro de 1991.
(Foto de Filme Kodacolor - 100, registrada por Anderson Alves Conte)

Trecho Ferroviário Urbano da Baixada Santista, paralelo a avenida da praia, entre São Vicente e Santos, em Janeiro de 1991.
"Atualmente nesse trecho, corre o VLT - Veículo Leve Sobre Trilhos, da Baixada."
(Foto de Filme Kodacolor - 100, registrada por Anderson Alves Conte)

Trecho Ferroviário Urbano da Baixada Santista, paralelo a avenida da praia, entre São Vicente e Santos, em Janeiro de 1991.
"Atualmente nesse trecho, corre o VLT - Veículo Leve Sobre Trilhos, da Baixada."
(Foto de Filme Kodacolor - 100, registrada por Anderson Alves Conte)

Estação de Santos da antiga Estrada de Ferro Sorocabana, posteriormente Fepasa, na Avenida Ana Costa, em 1991.
"Na imagem, José Conte (Filho) e Natalino Conte (Pai, em memória)."

Esta estação atualmente (2019) abriga o Fórum da Cidadania de Santos e o Núcleo de Memória Ferroviária da ABPF-SP.
(Foto de Filme Kodacolor - 100, registrada por Anderson Alves Conte)

O trecho inicial entre Santos e São Vicente, do antigo Ramal Santos - Juquiá, da E.F. Sorocabana, foi totalmente remodelado e atualmente, serve a operação do VLT (Veículo Leve Sobre Trilhos) "Elétrico", da Baixada Santista, serviço administrado pela EMTU. 

Mas nesta época do Trem Turístico, anos noventa, nesse trecho ferroviário urbano, operava o TIM - Trem Intra-Metropolitano (o Trem Urbano da Baixada) da Fepasa, entre as Estações de Santos e Samarita, formado por composições de Três Carros, tracionados por Locomotiva Diesel, visto não haver eletrificação nessa linha.
Esse serviço foi repassado da Fepasa, para a CPTM, que o manteve até o final dos anos noventa.

TIM - Trem Intra-Metropolitano da Fepasa, na Estação de Santos da antiga Sorocabana, na Av Ana Costa, em Janeiro de 91.

"Esta estação atualmente (2019) abriga o Fórum da Cidadania de Santos e o Núcleo de Memória Ferroviária da ABPF-SP."
(Foto de Filme Kodacolor - 100, registrada por Anderson Alves Conte)

O Trem Turístico São Paulo (Barra Funda) - Santos (Gonzaga) da extinta Fepasa, na década de noventa, foi uma tentativa de resgate, as já antigas e extintas viagens de Trens, entre a capital e o litoral, pela rota da antiga Sorocabana, ao menos na forma de "Passeio de Trem".

Esse serviço teve até uma boa repercussão na época, tendo boa demanda inicialmente, sendo até destaque em uma das edições da Dominical Revista Eletrônica Fantástico, da TV Globo, conforme nos mostra o vídeo, com a referida matéria. Mas infelizmente, seguindo a triste tradição do "Trem que leva gente, que NÃO sobrevive no Brasil..." esse Trem rodou por algum tempo e depois foi desativado.

* Nessa Matéria, quando a Repórter menciona que...
"... agora São Paulo vai ficando para trás..."
... o Trem Turístico em que a mesma está a bordo, havia acabado de passar pela atual Estação Santo Amaro da CPTM, estando prestes a passar pela atual Estação Socorro, "que ainda não existia nessa época", antes da Ponte do Socorro na Av. Nações Unidas.


Este Trem deixou saudades, em quem pode fazer a sua viagem!...

A Ferrovia Paulista S/A (FEPASA), foi liquidada e ou entregue a União, nos idos de 1998, época em que os últimos Trens de Passageiros de Longo Percurso do estado de São Paulo, foram desativados.

Bons tempos!...
Anderson Alves Conte
Idealizador do Blog Antiga Estação Cidade Dutra - Ramal de Jurubatuba - EFS

quarta-feira, 12 de junho de 2019

O SAUDOSO BONDE DE SANTO AMARO!...


Bonde de Santo Amaro, nas proximidades da Ponte do bairro Socorro.

MEMÓRIA DA ZONA SUL DE SAMPA...  O SAUDOSO BONDE DE SANTO AMARO!

A nova e tão esperada "Linha do Metrô de Santo Amaro", a Linha 5, que liga a estação Capão Redondo na Zona Sudoeste, a estação Chácara Klabin na região de Vila Mariana, era espera a décadas, pelos habitantes da Zona Sul.

A mesma já estaria prevista desde as décadas de 1960 e 70, quando nos anos setenta, foi construída a primeira linha do Metrô de São Paulo, a Norte - Sul (Atual Linha 1 Azul) entre Jabaquara e Santana, prolongada anos depois, até o Tucuruvi.

"Segundo consta, inicialmente o Ramal de Moema, ou Santo Amaro do Metrô, se iniciaria na Estação Paraíso, que já teria sido construída, para comportar as duas linhas; A Norte - Sul e o Ramal de Moema, ou de Santo Amaro."

Entretanto o projeto da linha do Metrô de Santo Amaro, ficou esquecido por décadas, até a linha enfim ser entregue em sua atual extensão (Capão Redondo - Chácara Klabin) em 2018, com algumas modificações, em relação ao que seria o seu traçado inicial.

Atualmente a Linha 5 Lilás, se conecta aos Trens Metropolitanos do Ramal de Jurubatuba da antiga Estrada de Ferro Sorocabana (Atual Linha 9 Esmeralda da CPTM) na Estação Santo Amaro, com a Linha Norte - Sul do Metrô (Linha 1 Azul) na Estação Santa Cruz e com o Ramal da Avenida Paulista do Metrô (Linha 2 Verde) na Estação Chácara Klabin.

"Segundo matérias veiculadas em outras mídias, existiriam/existem planos do Metrô-GESP, para que a Linha 5 seja prolongada até a região do Jardim Ângela e na outra ponta, prolongada até a região do Ipiranga?..."

Mas oque muitos das novas gerações, desconhecem, é que Santo Amaro já teve um Sistema de Transporte Sobre Trilhos, entre a região central Sul da cidade e a Zona Sul, passando exatamente pelas regiões de Moema e Brooklin, hoje atendidas pela Linha 5 do Metrô.

Este vídeo capturado do youtube, nos da oportunidade de ter uma ideia, de como era a operação da LINHA DO BONDE DE SANTO AMARO, que operou até a década de sessenta (1965/68) e nos seus primórdios, foi uma "Ferrovia Urbana".




* Nesta Página do Wikipédia, consta o histórico detalhado, do então chamado Tramway de Santo Amaro.

sexta-feira, 26 de abril de 2019

MEMÓRIA DA ZONA SUL DE SAMPA!...


LINHA DE ÔNIBUS EXECUTIVO DA EXTINTA COMPANHIA MUNICIPAL DE TRANSPORTE COLETIVO - CMTC, NOS IDOS DA DÉCADA DE 1980. 

"Ônibus Executivo da CMTC, que operava a Linha Cidade Dutra - Praça do Correio, via bairros do Socorro e Moema."

As pessoas pagavam um valor diferenciado, para andarem nesta linha de ônibus. Mas em contra - partida neste ônibus, só viajavam passageiros sentados, confortavelmente em poltronas estofadas reclináveis. NINGUÉM, IA EM PÉ!

A linha do Executivo da Cidade Dutra, a muito deixou de existir. Mas no local onde era o Ponto Final / Inicial da Linha, estão lá até hoje o Lava Rápido Executivo e Bar ou Lanchonete Executivo, que ostentam este "nome fantasia", alusivos a esta antiga e histórica Linha de Ônibus Especial.

Hoje essa modalidade de linha de ônibus, se ainda existisse, continuaria sendo uma alternativa diferenciada, aos deslocamentos na cidade de São Paulo.

(Créditos da imagem, constam na mesma!)

quarta-feira, 10 de abril de 2019

MEMÓRIA DO BAIRRO CIDADE DUTRA.

Memórias dos Pioneiros da Cidade Dutra II



Belo Documentário/Série, com relatos dos Pioneiros do bairro Cidade Dutra, em Interlagos, na Zona Sul de São Paulo.

* A Estação Ferroviária de Cidade Dutra, situada atrás do Autódromo, afastada do centrinho do bairro, "hoje desativada e ao lado da atual Estação Autódromo da Linha 9 Esmeralda da CPTM", foi inaugurada apenas em 1957/58 juntamente com o prolongamento do Ramal de Jurubatuba da Estrada de Ferro Sorocabana, até Evangelista de Souza, no entroncamento com a Linha Mairinque - Santos.

(Vídeo capturado do YouTube. Créditos constam no mesmo.)

domingo, 24 de fevereiro de 2019

A ANTIGA ESTAÇÃO CIDADE DUTRA EM FEVEREIRO DE 2019

A antiga Estação Cidade Dutra, em Interlagos, do Ramal de Jurubatuba da Estrada de Ferro Sorocabana (EFS), em trecho a atual Linha 9 Esmeralda da CPTM, vista da nova Estação Autódromo.



Cidade Dutra é a única das primitivas estações desse ramal, pelo qual entre meados da década de 1950 e o final dos anos setenta, correram os Trens de Passageiros que operavam entre a Estação Júlio Prestes, no centro de São Paulo e o Litoral Sul Paulista (Santos, São Vicente, Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe), alem dos Trens Cargueiros que também corriam por essa linha entre a Grande SP e o Porto.


Se essa antiga estação existe até hoje, muito se deve ao fato de que até o final dos anos noventa / início dos anos 2000, nela residia um senhor que foi funcionário da Sorocabana - Fepasa, que mesmo aposentado de seus ofícios, continuou ocupando e mantendo a velha estação, que hoje representa um dos poucos Marcos Históricos desse ramal.

Atualmente a antiga Estação Cidade Dutra, dentro de área patrimonial da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos - CPTM, segue "mantida pela própria sorte", porque infelizmente os agentes  que deveriam promover a sua recuperação e preservação, nada fazem.

A estação poderia ser um Museu do Ramal de Jurubatuba, por exemplo. Mas...

(Imagens de Anderson A. Conte)


terça-feira, 29 de janeiro de 2019

TOME O TREM EM SANTO AMARO E VÁ PASSAR SUAS FÉRIAS EM SANTOS!...


* 29 de Janeiro de 2019;
E O TRADICIONAL MÊS DAS FÉRIAS ESTÁ ACABANDO, MAS ACREDITE SE QUISER....
... UM DIA TIVEMOS A OPÇÃO DE IR DE TREM, DE SANTO AMARO NA ZONA SUL DE SAMPA, ATÉ O LITORAL SUL!...

Era o Trem de Passageiros de Longo Percurso da Estrada de Ferro Sorocabana (EFS), posteriormente Ferrovia Paulista S/A (FEPASA), que operava diariamente entre a Estação Júlio Prestes no centro da cidade de São Paulo e Santos, de passagem pelo Ramal de Jurubatuba (em trecho a atual Linha 9 Esmeralda da CPTM).

O Trem partia da Estação Júlio Prestes e seguia de passagem pela Barra Funda e Lapa, até o KM 11 da Linha Tronco (atual Linha 8 Diamante da CPTM), onde logo após a atual Estação Imperatriz Leopoldina acessava o Ramal de Jurubatuba, seguindo de passagem por Pinheiros, Santo Amaro, Interlagos, Região de Parelheiros, até a Estação de Evangelista de Souza, onde entrava na Linha Mairinque - Santos descendo a Serra do Mar por esta linha, até chegar na Estação de Samarita em São Vicente, onde em alguns horários, a composição era dividida, seguindo os primeiros carros (vagões) rebocados por uma locomotiva até São Vicente e a Estação de Santos da Avenida Ana Costa, no Gonzaga. E os últimos carros, seguiam rebocados por outra Locomotiva de passagem pelas Paradas e Estações de Praia Grande, Mongaguá, Itanhaém, até Peruíbe.

Este Trem de Passageiros operou esta rota, desde a inauguração total do Ramal de Jurubatuba em meados da década de 1950, até meados dos anos 70 (1976 / 77...).

HOJE EM PELO ANO DE 2019, NÃO TEMOS MAIS A OPÇÃO "TREM", ENTRE A CAPITAL E O LITORAL DE SÃO PAULO.  "EVOLUÍMOS?!?..."

Imagem de época da Gazeta de Santo Amaro, extraída do site Estações Ferroviárias do Brasil;
http://www.estacoesferroviarias.com.br/trens_sp/jp-santos.htm

terça-feira, 18 de dezembro de 2018

A LINHA SUL DO TREM METROPOLITANO, NOS ANOS 80!...

A Linha Sul do Trem Metropolitano da extinta FEPASA (Atual Linha 9 Esmeralda da CPTM), na década de oitenta.
Bela imagem do Ramal de Jurubatuba, em trecho a então Linha Sul do Trem Metropolitano da extinta Ferrovia Paulista S/A (FEPASA), atual Linha 9 Esmeralda da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), por volta de 1985 / 86.

Nesta época, os Trens Metropolitanos da Linha Sul, operavam entre a Estação de Osasco, na Linha Oeste (Atual Linha 8 Diamante) e a recém inaugurada Estação Largo 13 "visível no letreiro de destino do Trem", atual Estação Santo Amaro.

E o "curioso", é que entre as estações Pinheiros e Largo 13, em Santo Amaro, não foi construída nenhuma das estações que já estavam previstas pela FEPASA, conforme mostrava o Mapa do Trem Metropolitano na época.

"Estações estas que foram construídas somente após meados da década de noventa, pela atual CPTM, a exemplo da estação Cidade Jardim, que está exatamente onde vemos o Trem, prestes a passar debaixo da Ponte Cidade Jardim, de onde foi registrada essa imagem."

Aliás, a então Linha Sul do Trem Metropolitano, tinha a projeção de ser estendida pelo Ramal de Jurubatuba, até a estação de Colônia Paulista, em Parelheiros, como vemos neste mapa;
Mapa do Trem Metropolitano das Linhas Oeste e Sul da extinta Fepasa, atuais Linhas 8 Diamante e 9 Esmeralda da CPTM.
Nessa época, alem dos Trens Metropolitanos da Linha Sul, o Ramal de Jurubatuba atendia também a passagem dos Trens Cargueiros da Fepasa, que iam e voltavam entre os desvios industriais da capital e RMSP e o Porto de Santos, alem de eventuais Trens Especiais de Passageiros de Longo Percurso, que iam até Santos, ou até Peruíbe. Estes, eram Trens esporádicos, fretados por agências de viagens, que levavam seus clientes até o Litoral nestas ocasiões. Já que os Trens regulares / diários de Longo Percurso, que operavam entre a Estação Júlio Prestes e o Litoral Sul, haviam sido suprimidos pela Fepasa, no final dos anos setenta.

Esta imagem é mais uma parcela da história do Ramal de Jurubatuba da antiga Estrada de Ferro  Sorocabana, posteriormente Fepasa, que mostra, "alem da linha do Trem", o CALMO trânsito da Marginal Pinheiros, nos anos oitenta, conforme podemos ver também neste vídeo; https://youtu.be/FjyzMHpwGUA


(Imagens do acervo da extinta Ferrovia Paulista Sociedade Anônima - FEPASA. Vídeo capturado do Youtube).

terça-feira, 11 de dezembro de 2018

A PONTE DO RIO JURUBATUBA!...

Uma das mais belas "Obras de Arte" do Ramal de Jurubatuba, construído pela Estrada de Ferro Sorocabana, na década de 1950, é a ponte de concreto armado, com sustentação inferior do vão maior em arco, sobre o Rio Jurubatuba, pouco antes da antiga Estação Cidade Dutra, no sentido Evangelista de Souza.
Ponte do Rio Jurubatuba nos idos do final dos anos 50 / início dos anos 60. (Imagem do catálogo da Estrada de Ferro Sorocabana)












"Uma belíssima ponte que até hoje serve a passagem dos Trens."

Durante décadas, o trecho do ramal, entre a Estação de Jurubatuba e Evangelista de Souza, foi em via singela de Bitola Métrica, com pontos e pátios de cruzamentos de Trens.

Entre 2004 e 2007, com a remodelação e duplicação do trecho entre Jurubatuba e Grajaú no antigo Pátio de Interlagos, pela Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, foi construída uma segunda ponte, para a via sentido Jurubatuba - Osasco. Ficando a antiga ponte da década cinquenta, servindo a via no sentido Grajaú - Varginha - Evangelista de Souza.

2º Ponte "Metálica" sobre o Rio Jurubatuba, construída pela CPTM entre 2004 e 2007. (Foto de Anderson A. Conte)
Entretanto a 2º Ponte, foi construída em estrutura metálica, aproveitando apenas as gavetas e colunas de sustentação das cabeceiras, junto a ponte antiga, que já haviam sido deixadas prontas pela Estrada de Ferro Sorocabana, que não construiu a mesma, na época. Porem tanto os "arranques iniciais" da segunda ponte, bem como o espaço do leito para uma segunda linha, já haviam sido deixados prontos, pela Sorocabana.
Ponte da E. F. Sorocabana sobre o Rio Jurubatuba, reformada pela CPTM entre 2004 e 2007. (Foto de Anderson A. Conte)
Vale lembrar que o Ramal de Jurubatuba, inaugurado em 1957, foi considerado a segunda ligação ferroviária "direta" entre a capital e o litoral paulista, depois da Estrada de Ferro Santos a Jundiaí, esta construída pelo capital de investidores Ingleses, inaugurada 1867.
Ponte da E. F. Sorocabana sobre o Rio Jurubatuba, reformada pela CPTM entre 2004 e 2007. (Foto de Anderson A. Conte)
A finalidade do Ramal de Jurubatuba, foi a de encurtar a distância percorrida pelos Trens de Cargas e de Passageiros da Sorocabana, entre a Capital - RMSP e o Litoral. Visto que antes da existência dessa linha, que em boa parte margeia os Rios Pinheiros e Jurubatuba, para que uma composição da Sorocabana, com origem / destino na capital, pudesse ir ou voltar da Santos, esta teria que percorrer toda a Linha Mairinque - Santos (construída na década de 1930), para que os Trens pudessem acessar a Linha Tronco, em Mairinque, para irem e virem da capital, tendo necessariamente que passar por Osasco, Barueri, Itapevi e São Roque, na Linha Tronco...  
Mapa da E. F. Sorocabana, ao redor da RMSP (Acervo do Site Novo Milênio)
"UMA VOLTA EXTREMAMENTE LONGA, DE MAIS DE 100 KM`s, QUE AUMENTAVA O TEMPO DE PERCURSO E DE VIAGEM DOS TRENS."

... com a implantação do Ramal de Jurubatuba nos anos 50, os Trens com destino a Santos e Litoral Sul, com origem na capital, passaram a acessar este ramal, a partir das proximidades da Estação Imperatriz Leopoldina, no KM 11 da Linha Tronco, seguindo direto até Evangelista de Souza, o entroncamento com o início do trecho de serra, da Linha Mairinque - Santos, reduzindo significativamente o trajeto.

Ponte da E. F. Sorocabana sobre o Rio Jurubatuba, reformada pela CPTM entre 2004 e 2007. (Foto de Anderson A. Conte)
Atualmente o Ramal de Jurubatuba está operacional apenas no trecho da atual Linha 9 Esmeralda (Osasco - Grajaú) da CPTM, entre as estações Ceasa e Grajaú. Com obras de modernização, para que os Trens Metropolitanos cheguem mais 4,5 KM`s à frente, no bairro Varginha.
Mas ERRONEAMENTE, o trecho Varginha - Colônia Paulista - Evangelista de Souza, no encontro com a Mairinque - Santos, segue desativado desde 2004, ano que foi visto oque seria considerado o último Trem Cargueiro, ou de Manutenção, no trecho.

Trem Metropolitano de passagem pela Ponte do Rio Jurubatuba, prestes a passar pela antiga Estação Cidade Dutra, a dar entrada na Estação Autódromo. (Foto de Sidnei Gonçalves)
A segunda ligação ferroviária DIRETA entre a capital e o litoral sul paulista, segue desativada, em seu trecho final. Estando ativa apenas a Linha Mairinque - Santos, que serve de passagem aos Trens  Cargueiros que vão e voltam entre o Interior e o Porto de Santos.

Vista aérea da região da ponte do Ramal de Jurubatuba, em trecho a atual Linha 9 Esmeralda da CPTM. (Acervo; 100% Zona Sul)



segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

ESTAÇÃO INTERLAGOS (ANTIGA)!

























A ANTIGA ESTAÇÃO DE INTERLAGOS!...

Rara imagem da antiga estação de Interlagos, em meados dos anos 50 / início dos anos 60, com um "Vagão adaptado como Prédio de Estação", junto a plataforma de terra batida, com contenção de  bordas de dormentes, como eram muitas das estações ferroviárias dessa época.

A Estação Interlagos (antiga), que também era pátio de manobras e cruzamento de Trens de Interlagos, do Ramal de Jurubatuba, curiosamente ficava exatamente onde hoje é o pátio da atual Estação Grajaú, da Linha 9 Esmeralda da CPTM.
"Curiosamente", porque a estação que ficava ao lado do Autódromo de Interlagos, era a Estação Cidade Dutra, onde hoje ao lado, está a atual Estação Autódromo.

Ou seja;
Até hoje a estação que leva o nome de "Interlagos", não é a que fica ao lado do Autódromo.
Antes, era a que ficava na entrada do bairro Grajaú, nas proximidades da antiga Estrada do Bororé (Atual Av. Dona Belmira Marin). E hoje, é a que fica junto a Ponte da Ferrovia, na antiga Estrada das Perpetuas, que leva o nome de "Primavera - Interlagos".

Na década de noventa, quando havia a Extensão Operacional Provisória (Jurubatuba - Varginha), Interlagos era o nome da "Parada de Trens", que ficava embaixo da ponte de travessia sobre a via férrea, entre o Jardim Satélite II e o Jardim Primavera, no trecho entre as atuais estações Autódromo e Primavera - Interlagos.
Na imagem abaixo, a Parada Provisória de Interlagos nos anos 90, vista no sentido Jurubatuba.
"A referida ponte está atrás / acima de quem registrou a imagem."



















Essas imagens são parcelas da história do Ramal de Jurubatuba da Sorocabana, Ramal de Santos da Fepasa, atual Linha 9 Esmeralda da CPTM, na região de Interlagos, em diferentes épocas.

(Imagens do acervo do site Estações Ferroviárias do Brasil.)

domingo, 9 de dezembro de 2018

SITE ESTAÇÕES FERROVIÁRIAS DO BRASIL!...















O site Estações Ferroviárias do Brasil, idealizado por Ralph Mennucci Giesbrecht, NO AR desde o ano de 2001, reúne a história das estações ferroviárias, que em maioria são, ou que um dia já foram a "porta de entrada e saída" de suas respectivas localidades, através dos Trens que atendem / atendiam as mesmas.

Foram muitas as cidades que nasceram e se desenvolveram, a partir de suas estações de Trens, sendo estas praticamente a certidão de nascimento, o RG de suas localidades.

Este site é de valor histórico - cultural, imensurável. E foi ele a dar a "devida enfase", ao histórico da antiga Estação Cidade Dutra, em Interlagos.

Pesquisem, acessem, prestigiem o Estações Ferroviárias do Brasil;
http://www.estacoesferroviarias.com.br/index.html


sábado, 8 de dezembro de 2018

CHEGADA DOS TRENS JAPONESES DA E. F. SOROCABANA (1958)!




* Vídeo - Documentário da chegada no Porto de Santos, dos Trens Urbanos fabricados pela Toshiba no Japão, em meados da  década de 1950, para a antiga Estrada de Ferro Sorocabana (EFS), no estado de São Paulo;

Os TUE`s (Trens Unidades Elétricos) Japoneses, foram adquiridos para o serviço de Trens Urbanos da Sorocabana, na Grande São Paulo, tanto para o trecho inicial da Linha Tronco entre a Estação Júlio Preste e Itapevi, com horários em que o serviço chegava até São Roque e Mairinque, quanto para o Ramal de Jurubatuba, época em que os Trens Urbanos desse ramal também partiam do início da Linha Tronco, na Júlio Prestes, para a Estação Cidade Dutra, com alguns horários que chegavam até a Estação de Colônia, na região de Parelheiros.

Na época em que chegaram e começaram a operar, estas Unidades Japonesas tinham bancos estofados e um razoável nível de conforto, para um Trem Urbano. E como a Eletrificação da Estrada de Ferro Sorocabana, chegava até a cidade de Assis, no Oeste Paulista, bem como a Evangelista de Souza no Ramal de Jurubatuba, com o trecho de serra da Linha Mairinque - Santos também eletrificado até a Estação de Samarita, em São Vicente, aos finais de semana, quando a procura / demanda de passageiros aumentava nos Trens de Longo Percurso que partiam da Júlio Prestes para o Interior e para o Litoral, a Sorocabana também empregava algumas destas Unidades Japonesas até Botucatu, no interior e até Samarita, no litoral, quando os carros dos Trens de Longo Percurso não supriam a procura...

* Matéria sobre o TUE Toshiba:
http://www.estacoesferroviarias.com.br/trens_sp_2/rioclaro.htm

"Sim, você que só conhece o atual serviços de Trens Metropolitanos das atuais Linhas 8 e 9 da CPTM,  pode acreditar que um dia tivemos Trens de Passageiros até as cidades do interior no Oeste Paulista, bem como até o Litoral Sul, partindo da estação Júlio Prestes!..."

* Matéria sobre o Trem de Passageiros Ouro Verde da Sorocabana, rumo ao Oeste Paulista:
http://www.estacoesferroviarias.com.br/trens_sp/ouroverde.htm

* Matéria sobre o Trem de Passageiros da Sorocabana, rumo ao Litoral Sul Pauliulista:
http://www.estacoesferroviarias.com.br/trens_sp/jp-santos.htm

Na década de 1970, o serviço de Trens Urbanos, ou "Subúrbios", como eram chamados na época, já estava precário nas linhas da antiga Sorocabana, que já havia sido encampada pela nova estatal paulista (FEPASA - Ferrovia Paulista S/A), criada em 1971. Esta, elaborou um arrojado projeto de modernização, para os trechos urbanos da antiga Sorocabana na RMSP, com a aquisição de novos Trens Urbanos de bitola larga, novo sistema de sinalização, reforma e ou construção de novas estações, dentre outras melhorias, que entre o final dos anos 70 e início dos 80, deixou o "velho subúrbio da Sorocabana", com a concepção de "Trem Metropolitano da Fepasa", que praticamente se igualou ao padrão do Metrô Paulistano. E os já "velhos Trens Japoneses", saíram de circulação do trecho principal entre Júlio Prestes e Itapevi, passando a circular apenas entre Itapevi, Amador Bueno e Mairinque.  Sendo que no Ramal de Jurubatuba, com a remodelação do mesmo, o serviço de passageiros foi totalmente suprimido no final dos anos setenta, que ficou apenas de passagem aos Trens de Cargas rumo ao porto.

Até o início da década de noventa, os Trens Metropolitanos da FEPASA, chegavam pelo Ramal de Jurubatuba (a então Linha Sul inaugurada nos Anos 80) só até as Estações Largo Treze (Atual Santo Amaro) inaugurada em 1985 e Jurubatuba, reformada e reinaugurada em 1987.

A Bitola Mista (Estreita e Larga), chegava pelo ramal apenas até a estação Jurubatuba. Sendo o restante dessa linha, até Evangelista de Souza, em via singela de bitola estreita (métrica), por onde corriam os Cargueiros da estreita entre a RMSP e Santos.

Então no início dos anos noventa, foi implantada uma Extensão Operacional Provisória, da então Linha Sul do Trem Metropolitano, até a região do bairro Varginha, com três "Paradas" (Interlagos, Grajaú e Varginha).  E para operar esse "trecho complementar", a Fepasa destacou algumas unidades do TUE Toshiba, que já haviam sido reformadas por ela, para operar no trecho Itapevi - Mairinque, da linha tronco. E por um bom tempo, os velhos Trens Japoneses circularam novamente no ramal, indo de Jurubatuba a Varginha.

Ou seja;
Passageiros que vinham do trecho principal da Linha Sul do Trem Metropolitano, que depois da remodelação passou a partir de Osasco e não mais de Julio Prestes, na Estação Jurubatuba, faziam a baldeação para o Trem da Bitola Estreita, para continuar até Varginha; http://www.estacoesferroviarias.com.br/j/fotos/jurubat_wg.jpg

Em 2001, os Trens Metropolitanos da Linha Sul da extinta FEPASA (Liquidada e ou entregue a União pelo GESP em 1998), já eram operados pela Companhia Paulista de Trens Metropolitanos - CPTM. Esta, dada a precariedade da extensão operacional Jurubatuba - Varginha, desativou a mesma, sendo os Trens Japoneses, destacados apenas ao serviço da extensão operacional Itapevi - Amador Bueno, na atual Linha 8 Diamante, que operou com os velhos Toshibas até o ano de 2010; http://www.estacoesferroviarias.com.br/a/ambueno.htm

Atualmente restam apenas algumas unidades dos históricos Trens Japoneses da Sorocabana, operacionais no Sistema de Trens Urbanos de Salvador, na Bahia, visto o remanejamento e uma nova reforma destas unidades, para a referida localidade;
http://vfco.brazilia.jor.br/ferrovias/Bahia/suburbios/2010-Trem-Kawasaki-Toshiba.shtml

Ainda restam (Dezembro 2018) cerca de Três Composições, desativadas no Pátio de Presidente Altino, em Osasco, praticamente sucateadas.

O histórico Trem Japonês da Sorocabana, operou pelo Ramal de Jurubatuba, até e de passagem pela antiga Estação Cidade Dutra, em diferentes épocas, sendo parcela de sua história.

(Vídeo - Documentário compartilhado do Youtube; https://youtu.be/q9BFhk_Yn8U)